sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

MASERATI

Não sei o porquê, mas tenho uma queda pela marca Maserati desde criança. Lembro de um sábado a tarde no final da década de 60, que meu pai me levou à Interlagos. Os boxes ainda eram os os antigos e nós em volta de uma vermelha igual a essa aí do lado. O piloto dá na partida com a marcha engatada, o carro dá um pulo e quase me acerta. Meu pai ficou p... da vida, mas eu nem liguei. Estava hipnotizado por aquele longo capô vermelho, aquele tridente na frente da grade e aquele ronco maravilhoso. Que carro lindo!
Há uns anos atrás, fuçando na Internet, achei o link a seguir:
http://www.maserati.org.au/gallery/MASERATI/RACE_Cars/Tipo300S_gallery.html
Foi ai que eu fiquei sabendo que o Mark Knopfler tem uma e que corre com ela na Inglaterra. Eu já gostava dele e depois que eu soube disso então...
Para mim, falou em carro esporte eu lembro dessa Maserati. Ela simboliza a época dos carros de corrida mais bonitos de todos os tempos.
As 250F também me encantavam. O Fangio foi Campeão Mundial com uma. Elas foram também os famosos "charutinhos" de uma categoria chamada Mecânica Continental. Como a manutenção dos motores originais era muito cara e difícil, o pessoal colocava motor Corvette naquela carroceria e mandava o pau. A que ficou mais famosa foi a do Camilo - sempre ele! Infelizmente a categoria não durou muito tempo porque foi considerada muito perigosa.

Na semana passada, vi uma 250F anunciada na Classic & Sports Car. Não resisti à curiosidade e mandei um e-mail para saber se o modelo era original e quanto custava. Por incrível que pareça, hoje recebi a resposta. O carro foi feito nos anos 80 por Cameron Millar (se alguém souber quem é, agradeço a informação). Tem chassi e motor novos, e muitas peças originais. O preço é de "apenas" €445.000.
Nos últimos anos, a marca passou por uma fase negra até ser comprada pelo Grupo Fiat. Hoje os carros novos são maravilhosos e com mecânica Ferrari então ficaram fantásticos.

19 comentários:

Cuore Sportivo disse...

Si non é vero, é bene trovato

F250GTO disse...

Comparsa Buonanno, esta é para voce se emocionar ainda mais.
Nos anos 50 vieram 3 Maseratis para o Brasil.
Uma para o Luiz Américo Margarido, outra para o Antonio Mendes de Barros (filho do Adhemar de Barros) e uma terceira para o Celso Lara Barbéris (não tenho certeza)
Já ouvi uma história que a Maserati do Knopfler é uma das tres que estavam por aqui.
Portanto, la macchina do referido cantor pode ser a mesma que quase te atropelou no Templo.
Si non é vero...

Buonanno disse...

f250gto,

não sabia dessa história. Nesse link que eu coloquei, eles mostram o carro que foi do Barros - é assim que els o chamam - e mostram também a do Knopfler. Na próxima vez que eu contar essa história, já vou dizer que eu quase fui atropelado pela Maserati do Knopfler. hehehehe

M disse...

Xííí...
Informação errada !
Das Maseratis de competição, que eu lembre, foram 6 carros: 2 250, 1 200S, 1 450S, e a 300S que o Celso L. Barberis andava, importada pelo Jean Louis Lacerda Soares.

Eric disse...

Essas Masers modernas sao linas...a minha mulher adora a quatroportte....eu ja gosto mais da GT coupe....

Ela diz que a quatroportte parece o Fusion.....afffff

Roberto Zullino disse...

As 250F de fórmula 1 eram do Roberto Galucci e do Camilo Cristófaro. 6 cilindros e campeã do mundo em 1957 com o Fangio.
O Galluci tinha uma vida mais ou menos heterodoxa e morreu em um acidente mal explicado de avião existindo rumores de que a coisa foi armada pelo própio, mas como ele nunca apareceu a coisa devia se infundada. Era um bom piloto e ganhou várias corridas com a 250F.
A 200S era do Flavio Marx, estava pintada de amarelo e foi vendida para um "dealer" chamado Jay Felter que a repassou para o comprador final Scott Rosen, era 4 cilindros e foi feita para combater os 550 Spyders da Porsche, mas apanhou até no céu da boca.
A 450S era do Rugero Peruzzo e só o Cyro Cayres conseguiu andar com ela.
A 300S era do Jean Luis e que o Celso Lara andava depois foi do Ubaldo Cesar Lolli que deu uma belíssima porrada na Av São João e aterrizou na chapeira de um bar, mas não estragou tanto assim.
Pelo que lembro vieram 2 300S, ambas trazidas pelo Fangio que correu com uma em 1958, mas talvez nessa corrida tenham corrido a 300S e a 450S já que o M diz que só veio uma 300S, sempre achei que eram duas e o Avallone mesmo me disse isso. Como o M só discriminou 5 carros de 6, acho que eram duas 300S mesmo.
Ambas foram vendidas ao Colin Crabe pelo Avallone. Uma delas estava com um velhinho do ABC que tinha colocado um motor de Variant atrás virando o câmbio para trás, o motor de VW ficava na mala, mas agora não sei se qual delas era.

Roberto Zullino disse...

Segundo depoimentos do eterno segundão, Sir Stirling Moss, a 300S foi um dos carros mais equilibrados que ele dirigiu.
O Moss também gostava muito da 250F de fórmula 1 e seu pai e alguns amigos compraram uma para ele correr em 1954 privadamente no campeonato de fórmula 1. Os resultados lhe garantiram um lugar na equipe Mercedes em 1955 junto com o Fangio e Karl Kling.
O interessante é que o Fangio correu de 250F mais de 3 anos depois e ainda deu um enorme vareio nos Jegues novinhos pilotados por Collins e Hawthorne em Nurburgring quando o "arrentino" foi campeão pela última vez.
Lamentavelmente a equipe Maserati praticamente acabou em uma corrida na Venezuela em 1958 com a destruição de todos os carros em vários acidentes. Se bem que muitos aplaudiram a destruição das 450S que sempre foram considerados péssimos carros, tinham motor V8 que não se adaptava ao chassis e vice versa.
Praticamente todas as Maseratis foram recuperadas e muitas deram cria.

Roberto Zullino disse...

M
Eram duas 300S. Fui na página indicada e lá tem duas:

1-Tipo 300S (#3069) Built as a works car with the short-nose Fantuzzi body in 1956. Driven by Fangio to win the Brazilian GP in 1957

2-Tipo 300S (#3035) Built in late 1957 as #3074 and raced successfully in South America for 5 years by Barros.

O carro tem dois números, essa italianada era criativa mesmo. O "successfully" é licença poética, o Antoninho era meio grande e pesado e mal cabia no carro, hahahahaha

A do Knopfler é a do Antoninho Mendes de Barros:

Tipo 300S (#3035) Acquired in 1994 by Mark Knopfler. Courtesy of Barchetta

JackSpeed disse...

assino embaixo amigos comparsas as maserati são incriveis nao importando o ano e modelo,ao contrario de certas marquinhas ela tem uma bela historia nas pistas,regra importante para qualquer esportivo que se preze,o resto é pagani,lambos,essas coisas.e Eric perdoe-a elas nao sabem o que falam,rsrs.

Helio Herbert disse...

Pedido atendido em grande estilo...

Helio Herbert disse...

Agora lembrei,algum tempo atras,os filhos do Flavio Marx levaram uma Maseratti branca sem restauração para o evento de autos antigos em São Lourenço que fim será que levou,sera que está com eles...

M disse...

Negativo !
Veio só uma 300S !
A que o Celso corria e ficou anos lá no Camilão. Depois que ele morreu, o Camilinho vendeu por USD 700 K. (valia mais...)

O que dificulta é que nem todos os carros foram comprados diretamente da fábrica.
Alguns vieram da Venezuela e da Argentina, como é o caso da 4CLT.

Nos registros da fábrica, estes foram os carros vendidos para o Brasil:

A6GCS – CHASSIS 2012 – 28/11/1950 – ACB
A6GCM – CHASSIS 2032 – 1951 – Escuderia Bandeirantes
A6GCM – CHASSIS 2033 – 1951 – Escuderia Bandeirantes
A6GCM – CHASSIS 2034 – 1951 – Escuderia Bandeirantes

Estas A6GCM é que aqui eram erradamente chamadas de 250.

O Colin levou 2 destas, agenciadas pelo Ava, em uma transação com o Camilo, que quase acaou em tiroteio,

No caso das 300S, o tal chassis 3035 nunca existiu. É invenção.
O primeiro chassis da série foi o 3051, vendido em 17-02-1955 para o Bill Loyd, USA.
A 3074 é outro carro, fabricado em 30-12-1957. Tavez esta seja "a outra".

A 350S, chassis 3503, foi fabricada em 1957 com motor 12 cilindros, mas em 1958 recebeu um motor 6 cilindros 3.000 c.c. e veio para o Brasil.

A 450S, chassis 4503, fabricada em 18-12-1956 para o work team, bateu em Caracas. Foi reformada na fábrica e vendida em 1958 para o Jean Louis Lacerda Soares.
Na Maserati há um registro estranho de um outro carro que em 12-10-1960 recebeu o motor 345 e foi vendido para o Brazil. Desconfia-se que tenha sido a 4507, de 30-07-1957, carro oficial que também bateu em Caracas.
Mas eu nunca ví 2 450S juntas no grid.
E o pior é que já virei esta terra do avesso e não achei nem cheiro desta josta !

M disse...

Esclarecendo e complementando...
Eu não achei nem cheiro da outra 450S.
A 4503, depois de ficar zanzando pelas oficinas de São Paulo, foi parar na Speed, e vendida para Salvador.
Anos depois, reestilizada no perfeito estilo "baianada", voltou para SP e foi parar com o Fernando Jorge, em Campinas.
Tentei comprá-la, sem sucesso.
Até que levei um amigo italiano, que conseguiu arrematá-la.
O carro foi restaurado em Modena, por 1/2 dúzia de velhinhos, ex funcionários da fábrica, e que tinham trabalhado na construção dela.

Buonanno disse...

Há questão de um mês atrás, vi o anuncio de um livro do Walter Baumer (?) só sobre as Maserati 300S. Esse post eu escrevi no começo do blog. Não tinha comprado o livro ainda. Quem sabe a gente possa matar algumas charadas com ele.

São mais de 350 páginas só sobre esse modelo. Eu comprei na hora. Foram fabricadas 28 unidades ao todo. Eu não consegui ver tudo ainda, mas aparentemente ele tem a história de todas elas.

M disse...

É do Walter Baeumer !
Ví mas não comprei.
Sobre a 300S, nos registros da constam apenas 27 carros e mais 4 motores avulsos.
Depois de cessada a produção do modelo, "apareceram" mais dois carros, o 3082 e o 3083. Mas há sérias dúvidas de que tenham sido construidos na fábrica.
O melhor livro que tenho é o "Maserati - A complete History from 1926 to the Present", escrito a 4 mãos, por Luigi Orsini e Franco Zagari, publicado pela Libreria Dell'Automobile, Milano.
São "apenas" 900 páginas fartamente ilustradas, com desenhos e detalhes de projetos.
Está esgotado há muito tempo.

M disse...

Bonani,
Este Luigi Orsini é dos nossos !
Ele também escreveu livros sobre a Ferrari e Giuseppe Verdi.

Buonanno disse...

Hummm quem sabe a gente ache num sebo. Eu tenho um Site que agrupa mais de 2500 sebos no Brsil. Você passa o nome do que quer e ele procura e te encaminha. Vou tentar.

M disse...

Este vale um pastel !
O último que ví, vendeu no eBay por $1,200.
Em 1980, a josta custava uma baba !
Mas é capaz de vc ainda encontrar o da Ferrari.

Gilles disse...

Comparsas..isso aqui é uma verdadeira escola..só tem professor..SENSACIONAL !!!