quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

JUSTAMENTE O QUE MUNDO ANDA PRECISANDO!




Além do atacante dinamarquês Michael Laudrup, considerado um dos maiores jogadores de todos os tempos (na opinião dos dinarmaqueses; não perguntem aos argentinos), e dos sistemas de som de alta-fidelidade Dynaudio, resta pouco à Dinamarca para ganhar notoriedade no mundo. Mas, se depender do superesportivo Zenvo ST1, essa história pode mudar. O carro é fruto de um projeto que teve início em 2004 e que acaba de ser concluído. As primeiras das apenas 15 unidades deverão ser entregues no ano que vem e seus proprietários terão um dos modelos mais velozes do mundo na garagem, páreo para Bugatti Veyron e companhia.
O visual agressivo não é mero enfeite. Esse dinamarquês é mesmo para quem tem boa habilidade ao volante e quer mesmo algo explosivo. Os números falam por si: 1.104 cavalos de potência extraídos de um motor V8 7.0 sobrealimentado (de origem GM), aceleração de 0 a 100 km/h em 3,2 segundos e da imobilidade aos 200 km/h em 12 segundos. Máxima? Nada menos que 375 km/h.
Nestes tempos bicudos, não é exatamente o que estamos precisando, de mais um supercarro?
(reprodução-Car Magazine)

11 comentários:

jcesar disse...

Finalmente criaram um esportivo de verdade, motor v8, com 7000 cm3 e americano. Bem diferente daqueles esportivos italianos com motorzinhos de 3 ou 4 litros... hahahahahahaha

vitão disse...

Vixxee, o comparsa jcesar abriu a mala de ferramentas....aguarde troco da turma das bigas ...

Pé de Chumbo disse...

Só na partida já vai um galão de gasosa premium...

Se bem que o feliz propriotário de um desses deve de tá "muito preocupado" com o preço do petróleo, né?

Buonanno disse...

Para corrida de arrancada é uma boa!

Na hora de frear e fazer fazer curva dá uma saudades de casa...

F250GTO disse...

Para passar por cima de motorzão americano de 7.000, bastam motores de 3 e 4 litros, feitos por quem tem tradição, experiencia e anos em pistas de verdade.
E esse esportivos europeus ainda se dão ao luxo de fazer curvas para ambos os lados...

SAHIB disse...

Vitão foi dado um talento nas imagens...valeu!

Helio Herbert disse...

Europeu com motor Americano para mim só o FACEL VEGA,alguem se lembra...Hemi dos bons...Carro para os grandes malucos do passado.

regi nat rock disse...

Chamar essa aberração de esportivo de verdade é forçar um pouco demais a mão JCesar.
Os europeus (todos, reconheço, Ferrari a rainha, o touro chifrudo, o porfusca, a estrela palida)) podem não ter a final desse brutamontes , mas e daí? e o resto como fica? Poderá ser ótimo pra andar em oval e só. Aléwm do mais é feio pacas.
Tô fora.

M disse...

Meninas, meninas !
Não se exaltem que dá rugas...
Antes de mais nada, o carro é feio prá bedel. Mais um sapato.
MAS o motor GM é bom, forte, barato e praticamente inquebravel.
Pelo menos neste aspecto, os milionários incautos podem ter certeza de que o brinquedo vai funcionar sem problemas por muitos anos.
Agora se a barata freia e faz curvas, independe do motor, né ?
Não é a primeira vez que os "oropeus" adotam uma usina made-in-usa para tocar estes fuoriserie meio estranhos.
Além do Facel-Vega, tivemos os Iso, Monteverdi e os DeTomaso.
Por sinal gosto muito do Pantera.
Com o binômio Cleveland + ZF, bate muita coisa "boa".

Buonanno disse...

O M está certo.

O motor não significa que não breca ou não faz curva. Meu comentário foi referente a um carro com concepção americana.

M disse...

Buonanno,
Mesmo assim, só se vc estiver pensando em carro com concepção americana, do tipo banheira dos anos '60.
Porque hoje, os Viper, Solstice, Corvette, Panoz ou Saleen fazem o serviço direitinho.
Lembre-se que junto com o GT40, na GT3 os made-in-usa "vestem" os fuscas, cavalos e tourinhos.