segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

O SOM DO COMPARSAS - QUEEN

Eternas Rainhas...nasceram pra tocar em Wembley !!!

6 comentários:

Jackie disse...

Meninos podem chamá-lo como quiserem...rainha, lindinha !!
Sou fã de carteirinha de Freddy Mercury, e Bohemian Rhapsody é uma das mais belas musicas desta banda !!

Primo disse...

Não só da banda, como do rock.
Jackie, Rainha, de minha parte não é pejorativo nao, até pq eles mesmos se intitulavam assim, e os caras fazem um som de prima!
Frederic Bulsara, o cabra de Zanzibar foi seguramente um dos grandes do rock´n´roll !!!

jovino disse...

O Quenn se apresentou recentemente no Brasil com o vocalista Paul Rogers (ex Free e Bad Company). Quando comecei a ouvir o Quenn, não me interessei muito, gostava de um outro grupo, que foneticamente, para um leito em inglês como eu soava quase que igual que era o Cream (primeira banda do Eric Clapton) e que foi um dos melhores Power Trios de todos os tempos, por isto, a dificuldade em aceitar uma banda que vinha com um som mais elaborado e com novas tendências, misturando o tradicional rock and roll com pitadas de rock progressivo, sinfônico, ópera, etc.
Apoiado por uma grande banda com um bom guitarrista, Brian May e que sabia colocar os solos no lugar certo e na hora certa, o Quenn conseguiu uma projeção muito grande e logo se tornou um dos grandes do Rock.
O interessante é que quem se aproximava mais de um tenor, na minha opinião, não era o Fred Mercury e sim o Roger Taylor, baterista que arriscava um vocal em algumas músicas mais para o lado clássico da banda.
Assisti ao show deles no primeiro rock in Rio e juntamente com o ACDC foram as melhores bandas que se apresentaram por lá.
Dizem as más línguas que quando ele chegou ao Rio de Janeiro já sabia que tinha o virus da Aids e saiu distribuindo para todo mundo, pois foi a todas as boates e inverninhos gays e viveu um bacanal enquanto esteve por lá e ele tinha uma cama para cinco ou mais amigos. O rapaz era guloso.
Jovino

Jonny disse...

Complementando o do Jovino:
O Roger Taylor era o verdadeiro comparsa do grupo, é só ver a música que ele canta do mesmo album de Bohemian Rapsody, o A night at the Opera: "I´M IN LOVE WITH MY CAR". Mais comparsa, impossível.
Aliás, me lembro percorrendo todas as lojas de Sampa a procura deste album, estava esgostado....achei na galeria do Rock.
Os 3 albuns anteriores a este era muito bons e beeeeeeeeeeeem mais rockers: o I, o II e o Sheer Heart Attack. Este, uma obra prima, sem intervalos entre as faixas.
Outra curiosidade é que na ficha técnica destes albuns vinha a observação:"NO SINTHS!!!", denotando que tudo que eles faziam de efeitos eram com recursos de gravação mesmo.
Mas eu parei de comprar seus discos depois do quinto, o A day at the races, "inspirado num filme dos Irmãos Marx. Acho que dai pra frente ficaram muito pops demais e fora a aids adquirida num bacanal de 2 semanas sem parar na Grécia, acho que eles ficaram meio chatinhos mesmo. Mas nada que apague seu legado para a história com música que vieram depois deste periodo, como WEe are the Campions, Another one bites the dust e We will rock you...
E este show com o Paul Rodgers fiquei tentado a ir, pq sou fã do Bad Company. Mas disseram que foi uma coisa triste de se ver, de que nenhum músico ali precisava ter se sujeitado a isso.

Primo disse...

O Queen se foi com Freddy Mercury.
Paul Rodgers tem sua história, mas isso já é ooouutra história...

Helio Herbert disse...

Primo está certo o Queen era o Fred.Sem ele perdeu a graça,ou melhor ficamos sem a rainha...