sábado, 7 de fevereiro de 2009

DEUS ME LIVRE!

Assista ao vídeo e responda com sinceridade: Você acha que isso é divertimento ou está mais para masoquismo?
(dica do F250GTO que gosta mesmo é de F1)

video

18 comentários:

PacMan disse...

Bem,se for divertimento mesmo,ONDE está a graça da coisa?Vai entender...

Ernie`s Place disse...

Temos que Respeitar a curtição de cada um, mas, essa aí ...

regi nat rock disse...

To fora não.
Essas imagens, mostram gente se divertindo.
Mas, quando a opção é "ou vai ou vai", o papo é diferente. 30 anos atras nos Mato Grosso da vida, isso era absolutamente comum e normal. Abrir o próprio caminho era uma aventura e tanto. Trechos com meros 100/150 km, demoravam semanas para serem superados e em determinados locais, se levava - LITERALMENTE - o jipe nas costas. Perdi um Willis nas barrancas do Rio Ronuro (um dos formadores do rio Xingú), afogado de forma definitiva, assim como um trator Fiat AD7 (de esteiras !), pelos lados de Alta Floresta. O barro e a lama não perdoam, mas que era divertido PacMan, era, MUITO!.Diferente por exemplo de ser engolido em dunas no deserto. Ao menos, por onde andei me emporcalhando, o que jamais faltou foi água.

regi nat rock disse...

Putz! depois de ter postado, dei uma senhora viajada que estou com impressão de que tenho barro até o nariz, aspirando o cheiro insuperável do mato molhado e completamente virgem (êpa!) de lugares por onde andei e onde ninguém ainda havia pisado. Hoje, por lá, é um mar de soja, estrada asfaltada, celular etc.. mas naqueles anos...
Dificil de entender, reconheço, especialmente pra quem nunca se aventurou em pleno sertão amazonico, mas, inebriante e inesquecível.

Helio Herbert disse...

Também sou adepto a arte de desbravar,só que eu ia de moto própria para enfrentar caminhos quase impossíveis,levava até uma pequema pá para emrgências,e a moto quanto mais leve melhor,não adianta exagerar na cilindrada pois acaba tomando pau de motos menores num ambiente desses.O que realmente me causava compaixão é que por muitas vezes me deparei pelo caminho com algum jeep atolado,e olha não é facil tirar eles dessa situação...Uma vez fazendo trilha de jeep ele atolou numa duna e próximo havia uma casa,não deu outra,passei o cabo de aço do guincho atravéz do muro
e comecei a puxar,quando achei que o jeep iria sair do encalhe,o m uro caiu,e tive que pagar o prejuizo é claro...

Pacman disse...

Eu estava me referindo à "diversão" de estar atolado ATÉ O TETO,e alguns estão só com a cabeça fora d'água(do piloto,claro).EU acho que não me divertiria nessas condições,o que não significa que não curtiria uma trilha,lama,água,etc.Mas curtiria locais 'atravessáveis',onde com certo grau de dificuldade E habilidade,conseguiria-se chegar ao outro lado.Me enfiar numa situação dessas SABENDO que vou ficar ali e terei que ser arrastado para fora daquela situação,tô fora.
Nunca perdí ou presenciei a perda de algum veículo no deserto,apesar de ter sido e de ter arrastado carros para fora de atoleiros,mas era sempre uma enrascada decorrente da presunção de que DAVA para passar,e não de ter SE METIDO naquela situação propositalmente,como é aí no vídeo(acho).Sei lá,cada um com suas manias.O que posso dizer é que se lambuzar todo de areia fina,bem quente, misturada com suor,também é bem incômodo, ou prazeroso,depende da cabeça de cada um.Na minha,ainda curto muito subir e descer dunas e atravessar wadis.Adquirir as manhas para fazer isso tambem é um aprendizado muito legal.

regi nat rock disse...

O pessoal que faz isso por diversão, sem se dar conta de onde está se metendo e ao fim, engolido até o teto, merece ficar por lá mesmo.
No entanto, observando as feições, ngm está desesperado pelo imbróglio donde se meteu. Ou então ficam com essa cara pra não chorar.
Adoraria um raid pelos wadis da terrinha, apesar da areia fina e quente. Dizem que, com o dash dash e um bom turbante, ninguém assa ao sol. Será?

Primo disse...

Como diria minha velha mama, ´´mais vale um gosto q $$$ no bolso´´...conheço gente q curte essas aventuras...eu admiro, mas ainda nao dou conta...rss

Anônimo disse...

Tem que ter a mãe na zona...

Anônimo disse...

CURIOSIDADE !
Aos 2:57 os dois idiotas estão rindo do que ????

Anônimo disse...

Pelo jeito, o sr. Regi foi o professor do Johnny Weissmuller e a inspiração para Indiana Jones.

Roberto Zullino disse...

Masoquismo puro, pois não vão desbravar nada, depois do Colombo não sobrou muita coisa.

regi nat rock disse...

ô sr. anonimo, favor se identificar.
Tô ficando velho mas estou longe de ser antigo ou Matusalém.
E qto a gostar desse tipo de aventura, é fácil saber que estou muito longe de ser o único ou professor de quem quer que seja. Veja o Paris-Dacar por exemplo, ou então, http://www.youtube.com/watch?v=DpoKHIIpqBE , e aí sim vc verá quem é o "professor"

Helio Herbert disse...

Nesse Blog aqui não é bom o anonimato,melhor seria você arrumar um nome,mesmo que seja falso...Não tem problema agora anônimo não pega bem...

JackSpeed disse...

o meu lance é velocidade,pode ate ser em rali mesmo mas ficar num atoleiro desses andando a 10 por hora não é a minha,mas temops sim que respeitar o gosto da galera afinal muitos de nós dizemos que não gostamos sem ao menos experimentar!já meti uma toyota na lama em 4x4 e não vi muita graça não.

Rolando Escada Abaixo disse...

A pedidos...

F250GTO disse...

A unica coisa legal disso é tudo,é que reforça aquela ótima teoria de que "se sujar faz bem!...

regi nat rock disse...

Com seu entusiasmo, até que o nome vem bem a calhar...