quinta-feira, 19 de março de 2009

O SOM DO COMPARSAS - IRON MAIDEN



Meu rebento Duda, Jonny e outros alertaram...IRON MAIDEN esteve no Templo no fim de semana e nada no COMPARSAS ?
Me redimindo, uma versão em terras brazucas do clássico ´´Tears of the Dragon´´.
Antes do show de domingo, o vocalista Bruce Dickinson arrepiou no kartódromo, mostrando que alem de cantar muito e pilotar o 767 da banda, manda bem nas pistas.
Em tempo: no show de domingo em Interlagos o público foi de 63.000 pessoas, recorde dos caras !!!

9 comentários:

Gilles disse...

Agora sim vamos começar a falar de som que nunca envelhece.

O Iron foi uma banda que reinventou o metal e a primeira vez que esteve por aqui foi no Rock in Rio, o verdadeiro em 80 e picas nem lembro tocando só uma noite.

Domingo eles tiveram o maior público da sua história superando um anterior de 57.ooo na Suécia.

Presença obrigatória no player cd do carro, da casa, etcc..

Cuore Sportivo disse...

Escuto sempre. Por causa deles fui aprender violão.

Mas, não tinha outro lugar? Acabaram com a grama do autódromo...

Jovino disse...

Vocês sabem como surgiu o Iron Maiden? Fui justamente abrindo os shows do Deap Purple e eles fizeram tanto sucesso que com o decorrer das apresentações, eles estavam sendo mais aclamados do que o próprio Deep Purple e foi então que começou o fim do Deep Purple, mas aí é uma outra história que envolvem muitas coisas, principalmente, relacionamento entre os membros da banda que já não se suportavam mais.
Algumas vezes o empresário do Iron Maiden veio ao Brasil beber na fonte, fazer pesquisas nas raízes culturais da música popular brasileira, principalmente, a nordestina, o baião, o xote, os violeiros repentistas e tantos outros eram motivos de pesquisas da banda inglesa. Se repararem em alguns sucessos da banda, dá para perceber alguns acordes clássicos da música nordestina, mas só que tocados na paulera do rock and roll. Mas isto não é privilégio apenas do Iron Maidem, outras bandas também vieram aqui pesquisar como é o caso do Led Zepellin.
O primeiro sucesso deles que ouvi foi "Two Minuts to midnight", a princípio, apresentado pelos meus sobrinhos que começavam a descobrir o rock e o que eu mais gosto neles é o perfeito entrosamento dos guitarristas Dave Murray e Adrian Smith, que costuram trocas de solos quase que o tempo todo, isto, uma grande influência de uma lendária banda inglesa chamada Thin Lizzy, liderada pelo baixista e vocalista, que segundo a lenda, seria baiano filho de brasileiro com escocesa e que não falava um pingo de português, mas que teria conhecido o pai antes de morrer em 1988 já totalmente levado pelas drogas e o álcool.
Semana que vem eles tocam aqui em Brasília e acho que vai ter um grande público, até a minha estagiária de 22 anos disse que iria assistir ao show deles. Que coisa ótima, geralmente, essas menininhas gostam é de ir para as baladas, ou shows de axé, funk e outras porcarias que tem por aí.
Dos muitos discos que eles lançaram, gosto muito do "Somewhere in Time" gravado em estúdio em que eles abusam dos solos bem trabalhados das guitarras.
Eu estou na expectativa, se vou ou não, pois não gosto mais de tumulto, mas darei uma passadinha por lá e se tiver tudo tranqüilo darei uma entrada para ver a banda.
Jovino

smusp disse...

E EU ESTAVA LÁ!!!!

Anônimo disse...

Não fui no show, mas na segunda logo depois do almoço fui pro Templo ver o Bruce Dickinson acelerar a Porsche do Marcel Visconde.
Posso afirmar que como peseudo-piloto é um excelente vocalista. Rodou duas vezes, e saiu mais suado do que no show.
Quando andou com o Max Wilson, despirocou de vez.
Assim como o Patrick, filho do Lucca Furquim que nem imaginava o que ia rolar no Templo...
Quando viu o cara, travou de vez, surpresa total.
E no capo dianteiro da Porsche: Iron Maiden Racing Team"

Primo disse...

A DONZELA DE FERRO se reinventa ano a ano, e tocar aqui é certeza de casa cheia e vibração, os brazucas adoram os Dinossauros.
Mes que vem tem Kiss, e ja morri com 400 paus pros dois rebentos verem de perto e saberem realmente do que se trata, mas prefiro o Iron.

Paulo Aidar disse...

Ah sã estilos diferentes neh Primo, o Iron é mais melódico, os riffs de guitarra são barbaros, o Kiss é mais teatral..élegal tb, mas não resiste a comparação..

Primo disse...

Vero, Paulao...mas é rock´n´roll né...magavilha !!!

Paulo Aidar disse...

Certamente Primo, dois diretos.