domingo, 30 de agosto de 2009

'JUST A GIGOLO..."

"Just a Gigolo" é a adaptação de uma canção popular "Schöner Gigolo", escrita em 1928. Originalmente era uma paródia sobre a vida na Áustria após a Primeira Guerra Mundial, onde contava a desdita de um velho soldado hussardo que se via desfilando numa parada militar em seu impecável uniforme, enquanto ganhava a vida como dançarino de aluguel.

Mas a canção é melhor conhecida pela versão de 1956 de Louis Pima, o qual conseguiu uma fusão absolutamente perfeita com outra velha música "Ain´t Got Nobody", de 1915. Embora sejam duas canções inteiramente diferentes, a perfeição da fusão leva erroneamente a crer tratar-se de duas partes da mesma música.



A música voltou às paradas em 1985 com uma versão de David Lee Roth, roqueiro vocalista do Van Halen. Neste vídeo, esqueçam os dois primeiros minutos das macaquices do David Lee Roth e o ambiente kitsch do clip, fixando-se somente na música: Just A Gigolo...

9 comentários:

El Chueco disse...

"
I'm just a gigolo
everywhere I go
people know the part
I'm playing

Paid for every dance
selling each romance
uuuuuu
what are they saying

There will come a day
youth will pass away
then what will they say
about me

When the end comes I know
they'll say just a gigolo
as life goes on
without me
"

muito legal. Nao tinha idéia que a música tinha essa história.
Quanta coisa (boa e extremamente ruim) importante para o mundo saiu na Austria do período entre-guerras!

Primo disse...

E o cantor, biodiverso, canta muito...

Primo disse...

Mestre Joca, benvindo de volta...te esperamos no Cafe GP!

Buonanno disse...

êita, essa deu saudades dos tempos das discos.

Bons tempos!

RACER X disse...

Nos tempos que fui "discotecário" do Buffet Erico, durante o jantar dos casamentos, piano suave do Pedrinho Mattar...pós sobremesa, começava a esquentar os convidados com um medley da Glen Miller Orchestra e nos acordes finais fundia com Justa a gigolo. A festa tomava forma, os mais velhos e os mais novos dançando junbtos, era um grande barato...daí emendar com Don't you forget about me, do Simple Minds, a noite tava ganha!

Irineu disse...

Agora sim, Mr. Mendes, está explicada sua verve mais, digamos, pop. Por obrigações "contratuais" você tinha que agradar a gregos e troianos.

Mestre Joca disse...

Quando cheguei a SP, quinze anos atrás, a música era figurinha carimbada na programação da Opus FM, uma das melhores rádios FM da época na minha opinião. Seleção musical de altíssima classe e bom gosto.

roberto zullino disse...

Mr. Mendes era eclético, agradava gregos, troianos e varzeanos também.

RACER X disse...

isso, isso, isso, Zulino!