sábado, 17 de janeiro de 2009

O SOM DO COMPARSAS - THE POLICE



A noite é de Elton John em Sampa, mas vamos com THE POLICE e o clássico ´´Every breath you take´´, dica do comparsinha Dudu, meu rebento !

13 comentários:

Buonanno disse...

Apesar do Sting estar cada vez mais antipático, gosto do Police. Tenho um DVD muito bom com um show ao vivo deles, gravado na Itália, logo após o ataque às torres gêmeas em Nova York.

Primo disse...

O Sting, depois do casamento com o cacique Raoni ficou esquisitão mesmo...huahuaaaaa

Buonanno disse...

Disseste tudo!

Acho que são os hábitos indígenas, né?

Primo disse...

Deve ser a borduna do cacique...huahuaaaaa

jovino disse...

Acho que vocês já disseram quase tudo a respeito do The Police. Gostava deles, mas da carreira individual do Sting, não.
O interessante é que neste casamento dele com o cacique Raoni, quando ele deu bobeira, o cacique estava dando em cima da mulher dele. O grande destaque para mim dos músicos era o baterista Stewart Copeland, com uma batida firme e inovadora, influenciou toda uma geração que veio na onde de New Wave.
Agora, impressionante o show deles no Rio de Janeiro, acho que no maracanã, a produção impecável.
Jovino

Primo disse...

A nota de destaque desses shows da volta, uma evidente excursão caçaniquel, é o nanico invocado da guitarra, Andy Summers xingando o sócio do Raoni em voz alta no palco...huahuaaa

Buonanno disse...

Jovino essa da mulher dele não sabia. hehehehe. Deve ser pela falta de borduna. huahuahua

Li que os componentes do grupo não se suportam e brigam direto. Será verdade ou é só charme?

jovino disse...

Buonanno, isto não é privilégio só deles não. De um modo geral, é difícil achar uma banda com tanto tempo assim que não aguenta mais olhar um para o outro. Isto aconteceu e acontece com o Rolling Stones (que gravaram um disco sem ter contato um com o outro, cada um gravou a sua parte numa determinada gravadora e depois uniram todos e mixaram),Jim Morrison, entre outros. Aqui no Brasil, o capital inicial, eles chegavam ao ponto de não falar um com o outro, isto segundo o Loro Jones, que me contava tudo. Em nome do dinheiro, eles se suportam até quando não dá mais e cair fora. No caso do Loro Jones, ele faturava em torno de R$ 70.000,00 reais por mês, isto só com show, fora os direitos autorais e venda de CDs que ele recebe até hoje. Fez o seu pé de meia e caiu fora, além da questão do gosto pessoal de cada um que quer direcionar a banda para um lado, os outros, outro, e ainda tem os produtores que querem enfiar lantejoulas, como disse o Raul Seixas num show que ele fez aqui em Brasília na década de 70. Em pleno show, ele arrancou tudo e jogou fora e disse que era frescura de empresário que queria que ele usasse aquilo.
Não se iluda achando que eles estão aí porque estão com saudades de fazer shows, é dinheiro mesmo.
Jovino

M disse...

Como sempre, money talks...

Helio Herbert disse...

Quer diser que ele foi para a floresta atrás de uma pintada...
Depois do ritual ele perguntou para o cacique com o que saia
aquela tinta,e o cacique respondeu..."Com o tempo"...

M disse...

Ôôô Primo !
Questão de ordem:
O Sir Elton ficou muito interessado nesta estória !
Ele quer saber se para ver a burduna do cacique, tem que tirar licença no IBAMA ou na FUNAI ?

Primo disse...

Meu caro M, avise ao britanico sr que como ele está em sampa, é só dar um pulinho numa reserva indígena alí perto de Marsilac, há uns 40 km do Anhembi que a borduna dela tá guardada...huahuaaa

F250GTO disse...

Entre pintadas e bordunas é melhor só ouvir o Police e esquecer o resto, principalmente o Ecochato Sting.