terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

ESTILO POLÊMICO



O americano Christopher Bangle não é mais chefe de design do grupo BMW, anunciou nesta terça-feira (3) a fabricante alemã. A saída do projetista-chefe responsável pela renovação visual da marca nos últimos 17 anos, também significa seu desligamento do universo automotivo como um todo, e foi divulgada pelo boletim "Automotive News". O novo responsável pelos projetos da montadora alemã será o holandês Adrian van Hooydonk, que fazia parte da equipe de Bangle e, atualmente, está a frente do projeto do "sedã de atividade progressiva" (Progressive Activity Sedan).
Tendo passado pela Opel alemã e pela Fiat, Bangle chegou à BMW em 1992 e foi o responsável pela reformulação da linha BMW nos últimos anos. Assim, ao mesmo tempo em que alguns de seus projetos suscitaram polêmica, como o X6, a apresentação dos novos modelos das Séries 3, 5 e -- principalmente -- do novo Série 7 fizeram da BMW a marca premium número um em vendas, superando a rival Mercedes-Benz em 2006. Também foram feitos sob supervisão de Bangle os modelos de roadster Z3 e dos utilitários X3 e X5. Sob a batuta de Bangle, estiveram ainda a renovação de visual das marcas MiniO último modelo lançado pela BMW com a assinatura "Chris Bangle" foi o atualizado Z4, cupê-conversível de capota rígida e estilo ousado mostrado no Salão de Detroit, em janeiro.De acordo com a BMW, Bangle "busca novos desafios, como o desenvolvimento de um design único relacionado com algo além do universo automotivo"(desenhando discos voadores , talvez?) , mas sua saída não deve significar uma imediata mudança no visual dos modelos da marca, uma vez que Van Hooydonk seguirá o rumo apontado por seu antigo chefe.
Responda aí: você gosta do estilo "concâvo-convexo" de Bangle, ou acha apenas um excesso de linhas que não se encontram e curvas erradas?
(REPRODUÇÃO - UOL CARROS)

5 comentários:

Buonanno disse...

Em minha opinião, os carros da BMW são sempre lindos, mas li, já há algum tempo, que esse cara já foi muito criticado pelo seu estilo.

PacMan disse...

EU não gosto muito não.Aquela 1a. série 7 dele parecia um onibus(de perfil) que havia aqui em SP nos anos 60,mas não consigo lembrar a marca da carroceria.
O fato é que o próprio Bangle foi amenizando a coisa ao longo dos anos(acho),não sei se pelas violentas críticas ou porque essa era a evolução já prevista(duvido).
O que acontece(pelo menos comigo) é que a gente acaba se acostumando, e aí entra o tal do prestígio e a força do emblema.Não que tenha acabado gostando da 7,mas as série S da Mercedes sempre me deixam na dúvida quanto ao estilo inicialmente,e algum tempo depois acabo encontrando pontos positivos nas barcas.Hoje em dia por exemplo,já nem acho as S de 92/98 TÃO feias assim...Aliás,em termos de "construção", acho que nunca mais serão produzidos tanques de guerra como aqueles.
Outro dia estávamos conversando sobre a força do emblema e surgiu o comentário,meu é verdade,que o estilo do Calibra da Opel e aquele cupê Pininfarina da Peugeot (não lembro o numeral do modelo agora,olha aí o que estou dizendo!)mereciam um emblema mais prestigioso.A história desses dois modelos teria sido outra,estou certo disso.
Enfim,como foi dito no post,a linha BMW seguirá evoluindo pelas mãos do 2o. do Bangle,mas que já houve uma BELA aliviada no radicalismo dele,ah isso já.

Buonanno disse...

E o PacMan disse tudo: Peugeot bonito é o desenhado por Pininfarina.

Precisa mais?

Gilles 313 disse...

Acho que é questão de costume..ao ver uma foto da X6 achei o carro bem estranho, mas ao vê-la pessoalmente no Salão, na cor branca, foi tipo paixão a primeira vista...

Sergio Villarim disse...

Bangle estragou as BMW... ou vocês nao acham linda uma M3 E 36 ( aquela de meados dos anos 90)?