quinta-feira, 12 de março de 2009

SOBRE CABEÇOTES E SILHOUETTES...


Para esclarecer o assunto dos pseudo cabeçotes da Audi na Gallardo, vou fazer um retrospecto histórico da Lamborghini, que vai esclarecer bastante . O modelo Jalpa , desenhado por Bertone, mostrado na foto acima, irmão menor do Countach, foi produzido de 1.980 a 1.988, embora os primeiros prototipos tenham rodado desde 1.976, baseados no Urraco, que usava o mesmo V-8. O carro foi desenvolvido em paralelo com o BMW M-1, e a Lamborghini tinha esperanças de pegar o contrato para construção, Entretanto, no mesmo tempo, a BMW aprendia como contruir carros em pequena escala, e formou a BMW Motorsport e deixou os italianos falando sozinhos. Como a FIA estava preparando uma chamada categoria Silhouette para carros baseados em carros de rua ( 935, M1, etc) a Lamborghini levou à frente o desenvolvimento do Jalpa. foram produzidos aprximadamente 2.000 carros nesses 8 anos. O sucessor do Jalpa seria o chamado P-140, mostrado abaixo. O carro chegou a rodar como prototipo, envolvendo engenharia da Chyrsler, Bertone e Marcelo Gandini. Para melhorar a performance, e combater os novos concorrentes, japoneses e alemães, que estavam se tornando velozes, seguros, confiáveis e fáceis de conduzir, foi desenvolvido um novo motor V-10 baseado no V-12 (ângulo de 90 graus, 4 vávulas por cilindro, baixo centro de gravidade, abertura de vávulas variáveis), que teria um desempenho muito próximo do Diablo. O motor existe desde 1.988.

Como os esforços concentrados no desenvolvimento do Diablo e suas evoluções, o P-140 foi colocado de lado em 1.992, para ressurgir em 1.995 como o Calas`(foto abaixo), agora com desenho de Giorgetto Giugiaro, também com o motor V-10. Novamente, devido aos problemas financeiros da Chyrsler, o carro foi encostado novamente, e quando a Audi assumiu a Lamborghini a primeira prioridade foi o Murciélago, e o projeto do "new Calas" só foi retomado em 2.001, ainda com o motor V-10 desenhado para o P-140, bem antes da Audi se envolver na Lamborghini em 1.998 .

É lógico que o posterior desenvolvimento do Gallardo e do motor tiveram a participação da Audi, inclusive na tecnologia FSI (injeção direta de combustível), que dá um desempenho muito superior aos concorrentes (F-430), com muito menos emissão de poluentes, mas o DNA é puro Lamborghini, assim como a construção do chassis, em alumínio colado e fibra de carbono, e no sistema de tração nas 4 rodas. Um dos retrocessos foi a eliminação do virabrequim plano, que causa mais vibração, em virtude do uso do motor no sedã RS-6, onde conforto é prioridade. Mas o motor ganhou força estrutural e resite mais à torção.
O resto é basófia de jornalista desinformado, por isso é bom consultar várias fontes, mesmo que sejam "revistas importadas" .
Fontes na internet :

10 comentários:

911 Turbo disse...

Vitão,está no site que vc mandou ó:

The aluminum cylinder heads and block of this new engine were built at the Cosworth Technology factory (also owned by Audi AG), after which they are shipped to Györ in Hungary to be finished, much like other engines from the Audi range, this mighty engine was actually based on the Audi 4.2 V8 engine, sharing the 90 degree V-angle and bore centers, however the Lamborghini unit has a four valves per cylinder configuration instead of the 'Audi trademark' five valves and naturally two more cylinders.

Na verdade,só muda o cabeçote.O audi são 5 valvulas por cilindro e a Lambo 4.

A fábrica de Gyor na Hungria,é onde se monta o Audi TT,que vai para a fábrica da Alemanha de trem( e os trilhos passam DENTRO das fábricas),para ser finalizada a montagem.

911 Turbo disse...

E como havia falado já no e-mail:

At first the Murciélago would use the 6.0 liter engine used in the Diablo 6.0 VT, but Lamborghini's Engineering Director, Massimo Ceccarani didn't think the possible customers would like the fact that the latest Lamborghini used an engine with the same displacement as the 'older' model. Therefore they decided to create a 6.2 liter unit, three prototype engines were tested on the Lamborghini test benches and proved to be extremely reliable, note that this new engine had an enlarged stroke of 86.8 mm resulting in a displacement of exactly 6192cc.
E as bancadas são a 60º.

Roberto Zullino disse...

Sei não, não tem verdinho, os caras economizaram no ângulo do V e fizeram com 60 gráus.
Tem cara de coisa meio de carregação.

vitão disse...

Tostines vende mais por que é fresquinho, ou é fresquinho porque vende mais ? A geometria e trigonometria é igual em toda parte, mas o DNA é Lamborghini, e a Audi aproveitou e desenvolveu, tanto que a Lamborghini prefere manter as 4 janelas, por questões de refrigeração e torque, enquanto a Audi tem 5 válvulas para aumentar o crossflow, e o desenho das câmaras de água são outras. É só isso.

M disse...

Não gosto de invenções !
Sigo pelas tradições !
Para mim, água ferve a 100˚ e ângulo a 90˚.
E carro tem que ser verdinho !

Roberto Zullino disse...

Isso, esses caras da Lambo estão sempre inventando bobagem.

M disse...

Zullino,
Ainda bem que vc me entende...

jonny disse...

Prefiro Piraquê com gergelim...

JackSpeed disse...

mesmo com motores audi não passa de uma joça,o inico engraçado era o countach,sei lá se escreve assim esses nomes esquisitos,é algum boi ou vaca esse tal coutach?nem a Audi salva...que vergonha deixar terceiros mexer no seu motor,com o se trata de uma marca sem tradição e titulos e historia nas pistas ninguem liga...

vitão disse...

é , a J,case/New Holland/Fiat/ Ferrari é muito diferente mesmo. Foi buscar assessoria da TATA consulting service. me diga com quem andas .....